Mapas mentais: dicas para usar essa técnica de estudo

Se você é aquele tipo de estudante que ama utilizar diferentes técnicas de estudo, chegou até o lugar certo. Começamos este texto com uma pergunta muito importante: quais as técnicas de estudo você utiliza? Sabia que existem técnicas de estudo muito mais eficientes que outras? Por isso, iremos falar sobre uma delas hoje: os mapas mentais.

Talvez você já tenha ouvido alguém falar sobre o assunto, porém não sabe o quanto eles ajudam o cérebro a armazenar informações importantes. Os mapas mentais são ótimos aliados quando se trata de planejamento, além de auxiliar nos estudos, servem para apresentações, organização de projetos, estruturação de ideias e entre outros.

Se você já conhece e utiliza os mapas mentais, aproveite para descobrir os benefícios deles para o aprendizado e memorização. Otimize o seu tempo de estudos para o ENEM e invista num método confiável que possui mais de 50 anos de utilização no mundo. Criado e testado por um famoso psicólogo britânico.

Despertamos a sua curiosidade? Continue lendo e entenda por quais motivos você precisa utilizar os mapas mentais nos seus estudos o quanto antes.

Por que utilizar o mapa mental nos estudos?

Na década de 60, o mapa mental foi criado pelo britânico Tony Buzan, um dos mais renomados psicólogos da sua época. Segundo ele, o método facilita a aprendizagem e a memorização. A técnica ativa tanto o hemisfério esquerdo quanto o hemisfério direito do cérebro.

O hemisfério esquerdo é o lado responsável pela interpretação lógica da informação que recebemos, é mais realista, lógico e matemático. Enquanto o hemisfério direito é o lado responsável pela criatividade, por isso interpreta os símbolos e as imagens.

De acordo com o experimento “A eficácia da técnica de estudo do mapa mental”, a técnica é mais eficaz que outras técnicas de estudo. Para tal descoberta, 50 estudantes do segundo e terceiro anos de medicina foram separados de forma aleatória em 2 grupos.

Um grupo testou o uso dos mapas mentais enquanto outro grupo testou a técnica de estudo de seleção automática. Após uma semana, aqueles que utilizaram a técnica do mapa mental obtiveram conhecimento mais concreto que o outro grupo.

O mapa mental é muito eficaz para organizar as ideias e as informações. Por ter formato criativo e lógico, facilita a compreensão e assimilação da matéria, pois a resume. Será que o mapa mental é um resumo? Ou um resumo é um mapa mental? Vamos falar disso a seguir.

Resumo x mapa mental

Vamos imaginar a seguinte situação: você passou o dia todo estudando, teve seus momentos de pausas, mas decidiu que vai revisar os conteúdos antes de dormir. Você prefere ler o resumo que escreveu mais cedo ou um mapa mental com figuras, cores e pouco texto?

Poucas pessoas vão escolher o resumo, pois o mapa mental é um recurso em que aplicamos a regra do “menos é mais”, quanto menos texto melhor. O uso de cores ajuda o nosso cérebro a fixar as informações. Ademais, o uso de desenhos e imagens proporciona melhor clareza do conteúdo.

O resumo é mais denso, não podemos negar que ele tem o seu lugar numa rotina de estudos. Porém, o mapa mentalé mais adequado para a hora da revisão, já que é o momento em que você já estudou de forma detalhada e precisa apenas relembrar a matéria.

Os mapas mentais podem ser mais simples ou mais elaborados. Feitos no computador ou no celular. Feitos à mão. Enfim, fica a seu critério de escolha. Afinal, o importante é colocar em prática e começar a deixar os seus estudos mais práticos e lógicos.

Como criar um mapa mental eficiente

Para aqueles estudantes que têm afinidade com a criação, este é o momento mais legal dos estudos: a produção do mapa mental. É a hora de investir nas linhas retas e curvas, nas cores, nos desenhos e no que mais sua imaginação permitir.

Mas, se você não sabe nem por onde começar, existem vários modelos de mapa mental disponíveis na internet, basta pesquisar. A seguir, separamos 6 dicas que vão te ajudar na construção do mapa mental:

  1. Defina o tema principal: Pense no tema do mapa mental antes de começar a fazê-lo, é importante que você saiba sobre o que vai escrever.
  2. Comece do centro da folha: Normalmente, a informação principal fica na parte central da folha. Então, as informações secundárias ficam ao redor da informação central.
  3. Quanto menos texto, melhor: Como dissemos antes, é melhor que o mapa mental tenha palavras-chaves do que textos extensos. Seja o mais breve possível!
  4. Utilize as cores: Para destacar informações, relacionar e evidenciar conceitos utilize cores diferentes. Você pode criar uma legenda para cada cor, deixando ainda mais claro o mapa mental.
  5. Desenhos são seus aliados: Caso saiba desenhar, chegou o momento. Caso não saiba, utilize figuras ou imagens da internet, livros ou revistas.
  6. Crie on-line: Existem sites, aplicativos e programas em que você pode criar o mapa mental do jeito que quiser. Esta pode ser uma opção mais prática e rápida, para aqueles que não tem muito tempo disponível.

A criatividade é o elemento principal do mapa mental. Inspire-se com os modelos disponibilizados na web, mas, pelo menos, tente criar o seu. Esperamos que as dicas sejam úteis!

Apenas os estudantes podem utilizar os mapas mentais?

A resposta para a pergunta é não. Muitos profissionais utilizam o mapa mental para facilitar a sua rotina, alguns deles são:

  1. Profissionais de Marketing;
  2. Professores;
  3. Diretores;
  4. Desenvolvedores;
  5. Criadores de conteúdo.

Conclusão

mapa mental é uma excelente técnica de estudo para assimilar aqueles conceitos mais complicados, pois você pode estruturar aquele conceito em partes mais fáceis, fazendo com que seja compreendido facilmente pelo cérebro. Desse modo, utilizar o mapa mental para alavancar os seus estudos para o ENEM é uma excelente ideia. Temos certeza de que os seus resultados serão melhores graças a essa maravilhosa técnica de estudo.

Deixe uma resposta

Rolar para cima
Estamos aqui para te ajudar!