Saiba como funciona a residência médica

Após concluir a faculdade de medicina, muitos dos estudantes ainda têm dúvidas sobre a residência médica. Afinal, é um passo muito significativo na vida dos recém-formados, uma vez que terão que escolher uma área dentre tantas outras para se especializarem.

É importante lembrar que a residência médica não é obrigatória, caso escolha não fazer, poderá atuar como médico generalista em consultórios, hospitais e demais instituições de saúde.

Assim, o objetivo deste artigo é tratar dos seguintes pontos:

O que é residência médica?
Onde fazer a residência médica
Quais são as especialidades mais procuradas? e as menos procuradas?
Residência médica x especialização
Como ingressar na residência médica
O que é residência médica?
A residência médica funciona como uma pós-graduação, porque pode ser cursada apenas por aqueles que concluíram o curso de medicina. Desse modo, o recém-formado escolhe a área da medicina em que deseja se tornar especialista. Visto que, ao concluir o curso de medicina é chamado de médico clínico geral, mas o termo correto é médico generalista.

Normalmente, a residência médica tem duração de dois anos, com 60 horas semanais, no máximo. Mas, em alguns casos, como a residência médica em Neurocirurgia, pode ultrapassar o período de dois anos e chegar até cinco anos. Além disso, o estudante tem direito a 30 dias de férias anuais.

Um médico especialista qualificado na área é responsável por supervisionar e orientar os residentes. O período na residência é 80% prático e 20% teórico, pois o objetivo é aperfeiçoar os conhecimentos dos recém-formados. As avaliações podem ser por desempenho, de forma oral ou escrita.

Onde fazer a residência médica
De acordo com as notas de corte, vagas e reconhecimento, a seguir, listamos as melhores instituições para cursar a residência em medicina:

A residência da USP (Universidade de São Paulo);
A residência do Hospital Sírio-Libanês;
A residência da UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro);
A residência da SESAB (Secretaria de Saúde do Estado da Bahia);
A residência da FIOCRUZ (Fundação Oswaldo Cruz);
A residência da UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas);
A residência da HUB/UnB (Universidade de Brasília);
A residência da UFPR (Universidade Federal do Paraná);
A residência da UFU (Universidade Federal de Uberlândia);
A residência da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul);
Vale ressaltar que o número de vagas de residência médica é menor que o número de estudantes formados em medicina. Por conta disso, a concorrência é bastante alta.

Quais são as especialidades mais procuradas? e as menos procuradas?
Na atualidade, o Brasil possui 55 especialidades médicas reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina.

As especialidades da residência médica mais procuradas no Brasil são: clínica médica, pediatria, cirurgia geral, cardiologia, oftalmologia, anestesiologia, medicina do trabalho, ginecologia e ortopedia. Todavia, as especialidades menos procuradas são: radioterapia, genética, angiologia, medicina legal e medicina nuclear.

Residência médica x especialização
Será que residência médica e especialização são sinônimos? Afinal é muito fácil confundir os termos. A resposta para a pergunta é não. Trata-se de cursos diferentes.

Enquanto a residência médica dura, no mínimo, dois anos. A especialização tem duração mais curta, normalmente de 360 horas. Devido a sua duração, ela é escolhida por muitos profissionais que não dispõem de tanto tempo para dedicar aos estudos.

Os cursos de especialização são pagos pelo próprio estudante, todavia na residência médica o estudante é pago para estudar. Finalmente, vamos falar sobre como você pode ingressar na residência médica.

Como ingressar na residência médica
Geralmente, para ingressar numa residência médica, o estudante participa de um processo seletivo composto por três etapas.

A primeira etapa do processo seletivo para a residência médica é composta por uma prova teórica, que aborda os assuntos mais gerais da medicina e tem maior peso que as outras etapas, sendo de 50% ou mais.

A segunda etapa é composta por análise do currículo do estudante, em que as monitorias, os estágios extracurriculares, as participações em eventos científicos e atividades relacionadas contam muitos pontos.

A terceira e última etapa é composta por uma entrevista com o estudante para conhecer suas aspirações.

Porém, em alguns processos seletivos, existe uma etapa prática. Em outros, existe apenas uma etapa, a prova teórica. Por isso, é importante ficar por dentro da forma que a instituição desejada realiza o processo seletivo, basta consultar o edital.

Quanto custa uma residência médica?
A grande vantagem da residência médica é ser livre de taxas, matrículas e mensalidades. Normalmente, o estudante recebe uma bolsa mensal de R$ 3.330,43. Entretanto, algumas instituições oferecem um valor maior.

Outra informação muito importante é que o médico residente pertence ao Regime Geral de Previdência Social (RGPS), logo contribui de forma obrigatória para o INSS. A contribuição mensal é de 11%. A categoria é filiada à categoria dos profissionais autônomos, liberais e empresários da Previdência Social.

Residência médica com acesso direto e com pré-requisito
A residência médica com acesso direto, conhecida como R1, é aquela em que o médico residente não precisa ter outras especializações para ingressar. São exemplos de R1, pediatria e oftalmologia. Estas, são, justamente, as mais concorridas pois não possuem pré-requisitos.

Já a residência médica com pré-requisito, conhecida como R3, como o próprio nome já diz, pode ser cursada apenas por quem possui outra especialização, que pode ser em cirurgia geral, pediatria e clínica médica. São exemplos de R3, endoscopia, cirurgia plástica e reumatologia.

Da mesma forma que foi necessário esforço e dedicação para ingressar na faculdade de medicina, para ingressar na residência médica também é fundamental priorizar os estudos. Como dito anteriormente, o número de vagas é limitado, se compararmos com a quantidade de alunos que se formam em medicina a cada ano.

A escolha pela especialidade da residência médica deve acontecer com base em critérios de afinidade do estudante com determinada especialidade, jamais por conta da concorrência. Então, tenha muito cuidado!

Deixe uma resposta

Rolar para cima
Estamos aqui para te ajudar!