Imagem-post-dicas-para-economizar-na-mensalidade-de-medicina

Dicas de economia para a sua mensalidade de medicina

Mesmo na pré-medicina ou nos cursinhos preparatórios, os futuros graduandos de Medicina já devem pensar no valor da mensalidade do curso. Embora os valores variem de acordo com o lugar e a universidade, é consenso que a faculdade de Medicina é uma das graduações mais caras do país.

E quem dera se os gastos se resumisse às mensalidades, que podem chegar de R$ 6.000 até a mais de R$ 12.000 reais. Existem ainda as despesas com livros, alimentação, transporte e ainda aluguéis e contas quando o curso é em outra cidade e os alunos saem de casa.

Assim, mesmo nas faculdades públicas os estudantes podem ter um gasto considerável. Mas quanto às particulares, não bastasse os conteúdos do vestibular, os alunos de cursinho para medicina ainda precisam esquentar a cabeça com as futuras mensalidades da graduação?

Não se eles lerem algumas das nossas dicas de economia para a mensalidade de Medicina. Elencamos algumas orientações infalíveis para você ter a menor dor de cabeça possível quando chegar a hora da pré-medicina virar apenas medicina. Vejam com a gente!

Descontos na Mensalidade, Financiamentos e Bolsas de Estudo

Sobre economia para a graduação, a primeira ideia que vem à cabeça é a procura de universidades que apresentem algum desconto na mensalidade. Algumas oferecem essa possibilidade no próprio vestibular, dependendo da pontuação do vestibulando, assim como ofertas prévias de bolsas.

Outras faculdades também oferecem o desconto como bônus para pagamentos antecipados da mensalidade. E na graduação, os alunos podem procurar por bolsas de monitoria ou iniciação científica, que além de ajudarem com as despesas, agregam ao currículo acadêmico/profissional.

Há por fim, os programas de financiamento estudantil, que ajudam a pagar a mensalidade do curso, com o pagamento posterior do valor total mais os juros. Eles são oferecidos tanto por instituições privadas, como bancos, quanto públicas, vide o programa FIES que aproveita a nota do ENEM.

Planejamento Prévio das Despesas

A dica parece redundante, mas não tem erro. Quanto maior o controle prévio do orçamento, menor o aperto futuro com a mensalidade e qualquer outra despesa. Para tanto, é preciso primeiramente identificar quais são as principais despesas e a sua respectiva prioridade ou grau de importância.

Em seguida, deve-se calcular o gasto médio de cada uma delas e considerar as atuais fontes de renda e o quanto elas provêm de fato – mesada, bolsa, emprego, freelance, etc. Fazer uma planilha cruzando essas informações otimiza bastante o planejamento.

Hoje em dia existem aplicativos gratuitos especialmente para o controle de gastos, dentre outros programas oferecidos pelos próprios bancos. O e-mail institucional dado pela universidade também garante o acesso gratuito à versão online do Excel do Microsoft Office para a criação das planilhas.

Corte de Gastos

O bom e velho corte de gastos é outra mão na roda, e uma consequência inevitável do planejamento de que falamos agora. Afinal, saber planejar é também ver o que é e o que não é indispensável e assim aliviar o bolso para despesas não tão necessárias ou evitáveis.

Na universidade, cortar gastos significa, por exemplo, usar e abusar da biblioteca da faculdade para não ter que comprar todos os livros da grade curricular. E para os mais necessitados, uma dica é comprar em sebos ou nas feiras universitárias onde as editoras oferecem ótimos descontos.

É possível ainda procurar pela versão virtual dos textos e livros, muitas vezes disponibilizada publicamente. Escanear ou fotografar os livros e apostilas também ajuda a economizar com os gastos de xerox, além de evitar o famigerado acúmulo de papel no final da graduação.

Também é viável economizar na locomoção à faculdade, usando o transporte público ou, quando este também for dispendioso, fazendo um esquema de caronas com outros colegas. Há, ainda, vários programas de desconto e até passe livre para estudantes no transporte público.

Levar comida de casa também ajuda a cortar as despesas com a lanchonete ou restaurante universitário. Isso garante, ainda, uma dieta mais saudável, já que os estudantes sempre optam pelos doces e salgados, sobretudo quando têm o tempo apertado.

Não pensem, no entanto, que economizar significa dispensar as horas de lazer, por exemplo. Há muitas atrações gratuitas disponíveis, além de descontos e meia-entrada para estudantes com o devido atestado. Garantam a sua carteirinha e pesquisem essas opções de entretenimento.

Estágios, Trabalhos e Freelancer

Além de cortar os gastos, uma alternativa complementar é fazer entrar outras fontes de renda. Várias empresas de saúde e a própria faculdade (quando estas não fazem uma parceria) oferece estágios remunerados que, além do dinheiro, ajudam a dar aquela incrementada no currículo.

Arranjar um trabalho de meio período, mesmo com algo não relacionado à área, é outra solução para aumentar a renda que também agrega à experiência profissional (afinal, medicina é trabalhar com o público, e isso é algo que no comércio, por exemplo, já se pode antecipar e desenvolver).

Pequenos trabalhos e freelancers autônomos são também uma possibilidade. Um exemplo clássico da vida universitária são os estudantes que fazem doces e salgados para venderem na própria faculdade e assim adquirirem uma renda extra.

Mas além da comida, existem várias possibilidades. Fazer conteúdos para internet e redes sociais, criar layouts prontos para apresentações de trabalho, orientar vestibulandos, revisar trabalhos acadêmicos. Tudo isso gera um bom dinheiro e ainda aprimora certas habilidades pessoais.

Fazer uso de talentos e competências alheios à faculdade também ajuda a fechar as contas. Daí o clássico exemplo dos dotes culinários, ou, para citar outro caso, os dotes de informática, muito requisitados pela também clássica situação de estudantes que precisam formatar seus notebooks.

É preciso, naturalmente, fazer a devida organização pessoal para que nada desse trabalho extra faculdade atrapalhe os estudos. O objetivo principal ainda é a formação em medicina, e para isso deve-se chegar no meio-termo entre a graduação e as necessidades financeiras.

Estas são nossas dicas de economia para garantir a mensalidade do curso de Medicina. Para mais conteúdos, fiquem ligados no nosso site e deem uma olhada nos nossos planos de aula.

Deixe uma resposta

Rolar para cima